Muito se fala sobre questões como cloud computing, segurança da informação, governança de TI, boas práticas de gestão de serviços e projetos, além de certificações e metodologias importantes, como o MCSE, COBIT, ITIL, ISO 27000, entre outros. No entanto, treinar, capacitar e certificar o seu “cara de TI” em todos esses aspectos é caro e demanda tempo. A partir dessa conclusão, é importante questionar o quão interessante é, para a empresa, manter um profissional de TI interno!!!

profissional de ti interno

Nós sabemos que a maioria das empresas comprometem sua competitividade quando tentam suportar a demanda de TI, sem a estrutura adequada. Principalmente em um cenário de crise econômica, o responsável técnico da empresa, independente do seu porte, precisa estar alinhado às novas tecnologias e apto a mostrar o valor delas para os “tomadores de decisão”. Além disso, é importante ter domínio do negócio da empresa.

Abaixo, vamos ver os principais desafios de possuir um profissional de TI interno na empresa, principalmente quando ela é de pequeno ou médio porte:

  • Atualização de conhecimento: Uma vez que o core business da empresa não é tecnologia, a tendência é que o conhecimento do profissional de TI alocado fique obsoleto com o passar do tempo, pois ele passará a “viver” os desafios daquele mercado específico. Paralelamente, custa muito caro para a empresa mantê-lo atualizado com as novas tecnologias.
  • Vulnerabilidade: normas de conformidade de tecnologia costumam ser menos rigorosas em pequenas empresas, pois a fiscalização não é tão constante. Por isso, em alguns casos, informações importantes, como senhas dos usuários e acessos dos sistemas acabam ficando na mão do responsável ou, em caso de um pouco mais de organização, em um documento pouco protegido. Esse fato coloca em risco informações vitais e sigilosas da empresa.
  • Ociosidade: as demandas de tecnologia, principalmente em empresas de menor porte, não são constantes. E mesmo quando ocorrem, são questões simples de solucionar. Sendo assim, é grande o risco de as demandas não preencherem a rotina do profissional e ele ficar parte do tempo ocioso. Já um profissional capaz de agir pro ativamente e preencher sua rotina com atividades mais estratégias, por conta própria, pode custar caro demais.
  • Encargos: Além de pagar o salário do profissional de TI, a empresa precisa arcar com os benefícios, férias, entre outros impostos. Num período de migração de sistema, por exemplo, ou a empresa arca com os custos de um profissional temporário para apoiar a demanda ou opta por resolver os problemas de tecnologia por conta própria – ambos os cenários são desfavoráveis, tanto pelos custos quanto pela improdutividade que gera.

É significativo as diferenças entre possuir um profissional interno ou contratar uma empresa especializada em TI. No caso de contratar um serviço gerenciado de suporte técnico, sempre que a empresa cliente tiver algum problema ou necessidade que demande um técnico, basta entrar em contato com a empresa e solicitar um apoio, seja remoto ou presencial.

A Tripletech é uma empresa especialista em serviço gerenciado de suporte técnico e terceirização de TI de empresas de pequeno e médio porte, que atua há anos no mercado de TI e possui diversos cases de sucesso. Se a sua empresa está buscando profissionalizar o seu TI, mas não quer arcar com as complexidades e custos de contratar um profissional, converse com um especialista e veja como a Tripletech pode ajudá-lo.

fale conosco, podemos ajudá-lo com o crescimento de sua empresa

Acompanhe a Tripletech nas redes sociais:
Siga-nos no Facebook Tripletech Siga-nos no Twitter, Tripletech Siga-nos no Linkedin, Tripletech