Algumas empresas ainda têm a ideia de que investir em um projeto de TI é coisa para grandes empresas. Enganam-se redondamente. Principalmente aqueles que dependem da tecnologia para gerenciar seus negócios, fechar pedidos, enviar informações ou notas fiscais aos clientes. Ou seja, qualquer empresa que precise de serviço de e-mail, tenha um sistema para gerenciar as finanças, controle a produção e vendas através de sistemas.

Quanto mais os negócios dependerem da tecnologia da informação, mais a empresa sofrerá se houver uma falha inesperada. Em média, problemas de rede, sistemas e internet costumam levar de 6 à 18 horas até que sejam diagnosticados e completamente solucionados. Isso quando não há perdas de informações e dados irreparáveis, causadas por ataques de hackers ou mesmo por vírus que se espalham via e-mail.

Estamos vendo todos os dias notícias de empresas que tiveram seus dados sequestrados por hackers e vírus como o ransomware. Na verdade, se tornou um ótimo negócio para os cibercriminosos, visto que a maioria dos casos fica sem uma solução e a empresa ataque fica com o prejuízo.

Sem contar, a possibilidade de o espaço físico onde se encontram os computadores ser atingido por um incêndio, roubo ou enchente.

Não que o empresário que se preocupa em desenvolver um plano de continuidade de negócios está imune a incidentes tão comuns nos dias de hoje. Trata-se de uma postura adotada por aqueles que percebem os ganhos de se ter a chance de resolver problemas em pouco tempo, valorizando o ritmo de trabalho dos funcionários e a produtividade da empresa.

Esses gestores de TI não estão preocupados em saber se um incidente de segurança de TI ou uma catástrofe natural vai ocorrer, e sim quando vai ocorrer e se eles estão preparados para recuperar o ambiente em tempo hábil.

Incidentes como os já comentados, podem parar uma empresa por dias, semanas ou mesmo meses. Algumas empresas que tiveram seu sistema de TI atacados por hackers e seus dados sequestrados, além de pagarem resgates altíssimos ficaram semanas sem produzirem, restaurando os sistemas e dados que foram criptógrafos pelos cibercriminosos.

Imagine só o prejuízo que um episódio desse tipo pode gerar a corretoras de valores, corretoras de seguros, indústrias, administradoras de saúde e empresas de comunicação, hospitais por exemplo.

Como a consultoria de TI desenvolve um plano de continuidade?

Para cada perfil de empresa e tipo de negócio, o consultor de TI identificara os riscos envolvidos, com essas informações desenhará uma solução adequada às condições de investimento.


O primeiro passo é identificar as ameaças em potencial e o impacto que um desastre poderá causar na saúde financeira da empresa ou mesmo à sua imagem no mercado. Esse passo envolve desde uma análise da estrutura física, checando inclusive como os diversos equipamentos estão instalados, até uma avaliação das ameaças ao sistema.

Uma vez identificados os riscos, é hora de priorizar as soluções. Como muitas empresas estão crescendo sem planejamento da infraestrutura de TI, esse é provavelmente um ponto de partida.

Soluções de backup ou mesmo a terceirização do banco de dados são recursos muito utilizados para gerar oportunidade de crescimento sustentado. Outros pontos importantes: a consolidação dos servidores físicos, a centralização do gerenciamento de recursos físicos (impressoras, scanners etc.), um projeto de elétrica redundante para suportar a nova infraestrutura e, inclusive, o treinamento da equipe para que a rotina de trabalho esteja em acordo com o projeto e possa maximizar os resultados.

Quer saber mais sobre plano de continuidade de negócios?

Fale com um especialista

Fale com um especialista agora, e tenha a melhor solução de TI para sua empresa.

Acompanhe a Tripletech nas redes sociais: