Executivo adianta que Azure será separado do modelo tradicional de licença de softwares que a companhia usa para ‘não confundir os usuários’.

A Microsoft ainda não deixou claro como pretende incorporar os preços do Windows Azure, plataforma de computação nas nuvens (cloud computing) em contratos de longo prazo estabelecidos com seus consumidores corporativos. Porém, o diretor geral da companhia, Doug Hayer, disse que a meta é tornar o modelo o mais simples possível.

A informação foi dada na semana passada, durante a Worldwide Partner Conference, evento para parceiros da Microsoft, realizado nos Estados Unidos. Hayer afirmou que, até novembro, a empresa revelará detalhes sobre os modelos de cobrança.

O executivo ressaltou que o Azure será separado do seu modelo tradicional de licença de software para não confundir os usuários. “Faremos de tudo para integrar o sistema no contrato sem complicações”, disse Hayer.

Na última terça-feira (14/7), a empresa adiantou alguns preços que devem ser cobrados pela plataforma Azure e pelo banco de dados SQL Azure.

fonte: www.idgnow.com.br