sua empresa pode fechar, se você não tiver um plano de continuidade de negócio

O tema continuidade de negócios não é brincadeira. Empresas realmente vão a falência ou enfrentam longos e pesados períodos pela ausência de um plano bem estruturado.

A continuidade de negócios tem sua razão de ser, identificar e estabelecer estratégias para uma recuperação das funções vitais do negócio.  Isso significa que a empresa precisa manter em operação as atividades que são essenciais e críticas à sua sobrevivência. Isso inclui pessoas, recursos físicos, parceiros/fornecedores e processos.

Onde a Tecnologia assume papel fundamental na competitividade, nada mais coerente do que incluir um plano de continuidade. É isso que propõe as principais as boas práticas em Gestão de TI, como ITIL, COBIT, ISO/IEC20000 e ISO/IEC22301. O plano de continuidade de serviços de TI deve ser parte integrante – ou ao menos fortemente alinhado – com o plano de continuidade do negócio, visto que precisa ser desenvolvido à luz das mesmas funções vitais de negócio descritas no plano de continuidade do negócio.

Muitas empresas são dependentes da TI. Mas não possuem um plano de continuidade de negócio ou documentam quais são suas atividades chave (funções vitais do negócio).

Mesmo diante desse cenário a TI não deve se eximir da responsabilidade de se preparar para o pior.

Veja a seguir alguns itens que deveriam ser levados em consideração ao pensar na continuidade dos serviços de TI:

 

  1. Criticidade das informações

plano de disaster recovery

Desde sempre escutamos que o gestor de TI deve ser integrado ao negócio, deve pensar de forma estratégica e não apenas em “qual é o melhor storage, a melhor rede”. O ponto é que até hoje essa integração é rara e é difícil encontrar um gestor de TI com cabeça de Business ou um gestor de negócios que entende de verdade a criticidade de TI.

O primeiro passo para criar este link entre negócios e TI pode ser a criação de um catálogo de serviços.

O catálogo de serviços do ITSM não é (apenas) uma simples lista dos serviços que a TI oferece, como: criação de contas de e-mail, reset de senhas, permissionamento no servidores de arquivos e etc.

O catálogo de serviço deve (ou deveria) ter uma visão de negócios. Isso significa priorizar em primeiro lugar os investimentos da empresa (Quais trazem o melhor retorno?), desdobrar a partir daí as soluções e tecnologias de TI que suportam estes investimentos e utilizar esta informação para estabelecer os Acordos de Nível de Serviços.

Veja que com um mapa como este, é possível priorizar os seus esforços e investimentos na continuidade dos serviços em caso de um desastre ou algum evento significativo. Você terá uma visão clara dos serviços que suportam o negócio, dos que ajudam a empresa a crescer e dos que criam algum diferencial competitivo e ajudam a “virar o jogo”.

Falando sobre o que acontece na prática, quando questionados sobre o que deveria estar em um ambiente de Disaster Recovery ou de Contingência a resposta é: Tudo que é produção precisa e o que é homologação não vai.Isso é um tanto quanto óbvio e dependendo dos seus serviços pode ser que seja simples assim mesmo.

  • Com um catálogo de serviços orientado a negócios é mais fácil priorizar o que precisa de contingência em tempo real.
  • Quais os serviços onde é aceitável ter a informação apenas em D -1.
  • Quais serviços que precisam subir em até 48 horas.
  • Quais podemos sobreviver durante um período de recuperação e etc.

 

  1. Documentação do ambiente

A importância da documentação de seu ambiente de ti

Esta é outra grande disciplina super importante e que é falha na maioria das vezes.

Documentar dá trabalho, leva tempo, demanda capricho, além do conhecimento técnico detalhado do ambiente e de gestão. Você já percebeu que não é qualquer um que é capaz de documentar corretamente, ainda mais com a correria do dia a dia.

Imagine um momento de crise na sua empresa, por exemplo: um incêndio, inundação, greve, invasão!!!

  • Você não tem a documentação de sua infraestrutura
  • Não existe os processos desenhados

Com certeza, sua empresa demorará 10x mais para se restabelecer.

Uma documentações basicamente incluem:
  • Inventário de hardware e software,
  • Mapa topológico,
  • Senhas de aplicativos e sistemas
  • Procedimentos, configurações dos equipamentos, base de conhecimento, códigos de sistemas
  • Contratos de suporte e garantias e muito mais.

Tudo isso deve estar armazenado em um lugar seguro, de preferência na nuvem, acessível de qualquer lugar.

No próximo artigo vamos finalizar esse assunto que é muito importante para qualquer empresa ou gestor que queira se manter no mercado!

Saiba como podemos ajudá-lo

Clique e Fale Conosco!

Acompanhe a Tripletech nas redes sociais:
Siga-nos no Facebook Tripletech Siga-nos no Twitter, Tripletech Siga-nos no Linkedin, Tripletech