Empresas que investem ativamente em mobilidade, cloud computing e big data estão experimentando taxas de crescimento de receita até 53% mais altas do que aquelas que ainda não incorporaram as novas tendências, revela um estudo da Dell que mapeia o impacto do uso da tecnologia nos resultados de médias e grandes companhias de 11 países, incluindo o Brasil.

inovação_tecnologica

 

A pesquisa, conduzida pela TNS Research a pedido da fabricante, identifica também que, apesar de muitos decisores de TI identificarem a relação direta entre o uso de tecnologia e o aumento da receita, o custo é citado como a principal barreira para implementação ou expansão dos projetos que envolvam essas tendências tecnológicas.

“Esse estudo reforça a percepção de que a tecnologia representa hoje um fator decisivo para o sucesso das organizações, impactando diretamente nas receitas e ajudando-as a prosperarem e serem mais produtivas”, afirma João Bortone, diretor de soluções da Dell para a América Latina. “Ao demonstrar uma correlação direta entre uso de novas tecnologias e resultados dos negócios, esse levantamento pode ser um excelente aliado para os CIOs e decisores de TI em geral”, complementa.

Entre os três principais benefícios citados pelo uso das tecnologias, estão:

Mobilidade
39% – Mais eficiência
21% – Melhoria dos processos de negócio
21% – Redução do uso de papel

Cloud computing
42% – Redução de custos
40% – Realizar as tarefas mais rápido
38% – Melhor alocação dos recursos de TI

Big Data
41% – Endereçar melhor os esforços de marketing
37% – Otimização dos gastos com publicidade
37% – Otimização do marketing nas redes sociais

O peso da segurança

Ainda de acordo com a pesquisa, as companhias têm reconhecido a importância da segurança da informação e estão fazendo investimentos mais estratégicos nessa área. Em média, 54% das empresas que responderam ao estudo apontam que usam seus atuais orçamentos de TI para implantar planos de proteção, em vez de apenas atuar reativamente contra as ameaças.

O levantamento mostra ainda que, quanto maior a organização, mais preocupação ela tem com a segurança da informação. Nesse sentido, o estudo revela que, entre as empresas que gastam menos de US$ 10 mil ao ano com TI, cerca de uma em cada cinco não têm qualquer política ou regras de segurança da informação.