A redução de custos virou um mantra na maior parte das empresas. Como consequência, as áreas de TI buscam alternativas para endereçar essa necessidade, o que justifica o crescente aumento do interesse pelo cloud computing (computação em nuvem).

Muitas organizações colocam parte de sua infraestrutura na nuvem como forma de aumentar os recursos destinados a pequisa e desenvolvimento. Mas a grande maioria opta pelo modelo de cloud computing como forma de eliminar os custos relacionados aos ativos de TI, principalmente ao data center.

O diretor-executivo da empresa de soluções de segurança Immunet, Oliver Firedrichs, conta que a decisão de aderir à computação em nuvem ocorreu depois que a organização percebeu que precisaria construir um novo data center e o custo disso seria inviável. A partir daí, houve a decisão de utilizar a infraestrutura na nuvem fornecida pela Amazon.

A seguir, acompanhe a experiência da Immunet, bem como de outras duas organizações, com a adoção do cloud computing.

1. De gestão da TI ao desenvolvimento de software

De forma geral, o grande chamariz das empresas para adotar cloud computing é a redução de custos no data center. No entanto, em vez de reduzir o número de funcionários, muitas organizações que optam por esse modelo estão remanejando o orçamento de TI que sobra para investir em desenvolvedores de software com experiência em computação em nuvem.

“Em um data center tradicional, seria necessário um profissional de TI para manter os servidores e o próprio hardware”, lembra Friedrichs. “Então, alocamos o que seria pago para esse profissional aos desenvolvedores de software, que passam a trabalhar sobre uma plataforma mais flexível.”

Da mesma forma, a empresa de soluções para gestão de vendas Right 90 relata que ao transferir seus data center – espalhados por três países – para o modelo na nuvem, conseguiu desafogar a equipe de TI. “Os rapazes da área de tecnologia estão agora de questões mais estratégicas para a empresa e que são muito melhores do que gerenciar servidores”, relata o CEO do grupo, Arthur Wong.
2. Segurança da informação – visão positiva

Quando as empresas migram para cloud computing, uma preocupação recorrente é o estrago que um ataque malicioso aos provedores do serviço pode representar. Porém, até agora a Immunet não teve  qualquer problema. “Posso afirmar que desde que começamos tudo correu bem”, afirma Friedrichs. “Em um data center físico, os servidores estariam seguros, mas não haveria a concentração e a resistência na mesma medida que a nuvem proporciona”, completa.

3. Segurança da informação – visão negativa

O CEO da Immunet destaca, no entanto, que a empresa que contrata um serviço baseado em cloud computing precisa também gerenciar a segurança. “Não há direfença em hospedar na Amazon ou em um data center próprio”, aponta Friedrichs.

Exatamente essa questão de segurança fez com que a empresa de serviços que atua com transferência de arquivos YouSendIt optasse por implementar e gerenciar sozinha seu data center. Com 12 milhões de usuários, a companhia descarta qualquer possibilidade de utilizar cloud computing. Entre outras razões, o fundador e CTO do grupo, Ranjith Kumaran, destaca que quer evitar problemas de privacidade e de conformidade. “Nossos clientes europeus querem ter certeza de que seus dados estão na Europa”, ressalta o executivo, ao informar que hoje os provedores não garantem a localização geográfica dos ambientes nos quais estão armazenados os dados fornecidos por meio de cloud computing.

4. Escolha do cliente

Os problemas com a localização em que os dados estão armazenados enfatiza que a decisão de mudar ou não para serviços em nuvem não representa uma definição apenas da empresa, mas também de seus clientes.

“Já tivemos clientes que disseram: nós gostamos dos seus serviços, mas queremos ter tudo próximo de nós”, explica Kumaran. Para esses usuários, a YouSendit criou uma solução que utiliza o data center da própria companhia contratante.

5. A vantagem de custo não dura para sempre

Apesar das questões de requerimentos e segurança ainda serem uma barreira, a economia proporcionada pela computação em nuvem é algo que chama a atenção das empresas, na visão da CTO da ShareThis – que oferece soluções de compartilhamento de informações -, Nanda Kishore, que está entre os usuários de cloud computing.

Mas conforme sua companhia cresce, a executiva vejo menos vantagens de custo na adoção da nuvem. Um dos problemas, segundo Nanda, tem sido o consumo de banda para tráfego de dados.

Fonte: Lições que as empresas aprenderam com a adoção de cloud computing