A Intel entrou nesta quarta-feira, 22/07, com um recurso na Corte de Primeira Instância da Europa contra um parecer antitruste e uma multa de 1,06 bilhão de euros (US$ 1,50 bilhão) imposta pelo órgão regulador da União Europeia, no último dia 13 de maio.

“Nós acreditamos que a Comissão Europeia interpretou de modo equivocado algumas evidências e ignorou outras”, afirmou o porta-voz da Intel, Robert Manetta.

Para a Comissão, a gigante dos processadores ofereceu descontos ilícitos à rede de fabricantes, entre eles, Acer, Dell, Lenovo e NEC, de forma a atrasar o lançamento de família concorrente de chips por parte da rival AMD.

A multa aplicada à Intel foi recorde. Até então, a maior penalidade tinha sido imposta à Microsoft, condenada a pagar 899 milhões de euros, no ano passado, também por abuso de posição dominante. A MS também apresentou recurso e aguarda o julgamento.

A sanção foi calculada com base nas vendas de chips da empresa na Europa durante os anos em que a prática foi detectada. A Europa foi responsável por cerca de 30% dos 22 bilhões de euros (R$ 62 bilhões) que a empresa obteve com a venda de chips ano passado.

*Com Agências Internacionais

fonte: Convergência Digital