No Brasil, 51% dos entrevistados disseram que já possuem estratégias de TI verde implementadas e 38% estão começando a falar sobre o assunto.


A Symantec Corp. anunciou hoje os resultados da Pesquisa Symantec 2009 sobre TI Verde, uma espécie de continuação do relatório State of Data Center Verde divulgado no final de 2007. De acordo com os dados da pesquisa, os executivos sêniores de TI demonstraram grande interesse por estratégias e soluções de TI verde, não só por conta da redução de custos trazida por iniciativas dessa natureza, mas também como parte das iniciativas de responsabilidade sócio-ambiental da instituição. Os dados indicam uma mudança significativa no que diz respeito à implementação de tecnologias verdes, que deixam de ser impulsionadas pela redução de custos, graças a uma conscientização mais equilibrada sobre as melhores práticas ambientais nas empresas.

Noventa e sete por cento dos participantes afirmou estar pelo menos discutindo uma estratégia de TI verde, enquanto 45 por cento disse já ter implementado iniciativas de TI verde. Na América Latina, 29 por cento dos entrevistados confirmam a implementação de estratégias de TI verde na empresa. No Brasil, setenta e três por cento das empresas afirmam possuir um plano para implementação de iniciativas “verdes”.

Os responsáveis pelas decisões de TI estão cada vez mais justificando as soluções de TI verde não apenas pelo custo e pelos benefícios de eficiência para o departamento de TI. Os participantes citaram como principais fatores a redução do consumo de energia elétrica (90 por cento), diminuição dos custos com resfriamento (87 por cento) e o fato do mercado cada vez mais exigir que as empresas sejam “verdes” (86 por cento). Além disso, 83 por cento dos participantes já é responsável ou pelo menos parcialmente cobrados pela energia elétrica consumida no data center – sendo exigido que utilizem novas formas de contabilidade a fim de otimizar o consumo final desses recursos. Para 94% dos entrevistados no Brasil, a eficiência energética das soluções é um aspecto que será cada vez mais importante na hora de escolher os fornecedores.

“Ao longo dos últimos 12 meses, o segmento de TI surgiu como uma nova força para a implementação de iniciativas verdes – não apenas pelos benefícios gerados pela economia de energia, mas também pelo desejo cada vez maior das empresas de ter práticas ambientalmente responsáveis”, declarou Jose Iglesias, vice-presidente de Soluções Globais da Symantec Corporation. “O pêndulo vai para os dois lados e o segmento de TI agora está utilizando uma estratégia equilibrada e muito mais integrada à estratégia ‘verde’ das organizações, o que pode ser comprovado pela quase totalidade dos entrevistados que afirmam já serem responsáveis pelos gastos de energia nos data centers”.

Aumento dos orçamentos destinados à soluções “verdes”

Os executivos de TI afirmaram que terão aumento significativo nos orçamentos de TI para iniciativas relacionadas a boas práticas ambientais. No ambiente global, setenta e três por cento dos participantes esperam um aumento nos orçamentos para TI verde ao longo dos próximos 12 meses. No Brasil, este percentual sobe para setenta e oito por cento, média igual a da America Latina.

Os entrevistados típicos afirmaram gastar entre USD 21 e 27 milhões com as contas de consumo elétrico do data center. Porém, ao mesmo tempo concluiu-se que o segmento de TI está disposto a pagar mais por produtos eficientes no consumo de energia. Dois terços dos participantes disseram estar dispostos a pagar pelo menos 10 por cento a mais, enquanto 41 por cento estariam dispostos a pagar pelo menos 20 por cento a mais. 89 por cento dos participantes entrevistados classificou a eficiência dos produtos de TI como um aspecto importante ou muito importante na hora da compra.

Esforços de TI verde das empresas

À medida que as organizações continuam a adotar programas e boas práticas para melhorar a responsabilidade sócio-ambiental por toda a empresa, os departamentos de TI são cada vez mais importantes para a ampliação dos esforços “verdes” dentro das empresas. Talvez o mais forte indicador dessa tendência seja o fato de que 83 por cento dos departamentos de TI relataram que já são considerados responsáveis ou parcialmente cobrados pelo consumo de eletricidade, uma grande motivação para a redução dos custos dos departamentos de TI com eletricidade.

Além disso, 89 por cento considera que o segmento de TI deva exercer um papel muito ou extremamente significativo nos esforços “verdes” e 94 por cento possui um profissional designado a cuidar de práticas ambientais, sendo que mais de um quinto mantém foco exclusivo nas iniciativas de TI. No Brasil, 84 por cento das empresas afirmam já ter um executivo designado para cuidar de iniciativas “verdes” e 22 por cento desses funcionários são da área de TI.

Principais iniciativas verdes de TI

Os profissionais de TI vem implementando inúmeras iniciativas para melhorar as práticas ambientais no segmento. A substituição de equipamentos antigos é a estratégia mais popular entre eles, com 95 por cento dos participantes apontando os novos equipamentos eficientes no consumo de energia como parte de suas estratégias verdes, seguido pelo monitoramento do consumo de energia (94 por cento), virtualização de servidores (94 por cento) e consolidação de servidores (93 por cento). Além disso, mais da metade (57 por cento) dos participantes enxerga o SaaS (Software as a Service) como uma boa alternativa “verde”.

Dados adicionais – América Latina

Os entrevistados no México e Brasil sinalizaram que:

* O papel da área de TI é muito importante para ajudar as empresas no controle de emissões nocivas por parte da empresa (52 por cento)
* Estão criando um plano de TI Verde (39 por cento)
* Pagariam pelo menos 10 por cento a mais por produtos energeticamente eficientes (3 de cada 10)
* Cada PC que permanece ligado por toda a noite, representa para a empresa um gasto médio de $100 a $249 dólares por ano.

fonte: Estudo da Symantec revela que TI verde já é prática essencial nos departamentos de TI