Vice-presidente da IDC indica que, nos próximos quatro anos, há uma tendência de dobrar o número de servidores instalados no mundo, ao mesmo tempo em que os dados transacionados em redes sociais tendem a crescer oito vezes e os usuários de serviços móveis devem triplicar

Os próximos quatro anos serão marcados por oportunidades inéditas de sucesso ou fracasso para os CIOs, na opinião do vice-presidente da IDC – consultoria norte-americana especializada em TI -, John Gantz. Para ele, de forma geral, as crises representam uma oportunidade, “mas os profissionais precisam ter uma postura proativa se quiserem tirar algo bom dessa atual turbulência”, explica Gantz.

Na prática, o vice-presidente da IDC aconselha que os líderes de TI, bem como suas equipes, precisam, mais do que nunca, trabalhar de forma casada com os demais departamentos da companhia e com os fornecedores. Além disso, ele defende que as áreas de tecnologia terão de se reorganizar para atender, de forma mais eficiente, as necessidades do negócio.

“O sucesso da TI será direcionado pelos acontecimentos e estratégias das divisões de negócios”, diz Gantz ao explicar que o principal desafio dos CIOs nesse cenário é lidar com a crise econômica e identificar quais das muitas novas tecnologias serão necessárias à retomada dos investimentos.

Quanto ao futuro, Gantz mostra-se otimista ao apontar que, nos próximos quatro anos, vamos acompanhar um aumento expressivo na demanda por profissionais que atuem nas áreas de TI e telecom e o número de servidores instalados deve dobrar no mundo. Também segundo o vice-presidente, até 2013, os usuários de tecnologias móveis tende a triplicar, enquanto volume de informações transacionadas por rede sociais crescerá oito vezes. Fatos que implicarão na necessidade melhorar as políticas corporativas de segurança e descarte dos dados.

“Vivemos o “renascimento” da TI e os CIOs têm a oportunidade de ganhar destaque nas organizações, aponta Gantz, que aconselha os gestores da área de tecnologia a olhar com atenção temas como: gerenciamento de segurança, redes sociais, SaaS (software como serviço), terceirização e BPO (terceirização de processos de negócios, da siga em inglês).

Divina Paredes, da CIO/EUA

fonte: Cio