As iniciativas ‘verdes’ precisam estar atreladas com benefícios financeiros para as empresas

Uma das alternativas para os departamentos de tecnologia da informação driblarem orçamentos cada vez mais reduzidos é investir na eficiência energética. Hoje, tecnologias como virtualização, otimização do armazenamento, produtos com selo Energy Star, soluções de gerenciamento de energia, entre outros, têm o potencial de reduzir o consumo energético imediatamente, sem ter de aguardar o temido retorno sobre o investimento (ROI).
 
Segundo o relatório IT’s Energy Efficient 2009, da consultoria em TI CDW, 52% das organizações que  trabalham ativamente para reduzir o consumo de energia, conseguiram diminuir os custos com TI em 1% ou mais. Dependendo do tamanho da empresa, esse 1% pode se traduzir em grandes economias.

Ao implementar todas as medidas necessárias para economizar energia em toda a organização, os profissionais de TI consultados no estudo acreditam que essa redução pode chegar a cerca de 17%, o que se traduz em 900 mil dólares de economia em média para grandes empresas.

 

O que funciona?

Não existe milagre quando se trata de eficiência energética. Enquanto a maioria das organizações se preocupa com a redução do consumo de energia e reconhece a oportunidade para uma economia significativa, o sucesso só vem com persistência e com um foco preciso sobre as oportunidades de eficiência energética em todo o ambiente de TI.
 
O relatório descobriu que os executivos de TI responsáveis pela conta da energia do departamento tendem a possuir uma visão de longo prazo e são duas vezes mais propensos a dar mais importância à eficiência energética no processo de aquisição dos equipamentos. Em organizações bem-sucedidas, o estudo aponta que gestão e TI fazem da eficiência energética uma prioridade partilhada por meio de três táticas – perguntar, delegar e incentivar, conforme exemplo abaixo:
 
Pedir para a TI gerenciar – organizações que pediram ao seu departamento de TI para reduzir os custos de energia têm resultados significativos: 57% cortaram os gastos em 1% ou mais.
 
Delegar responsabilidade – 60% das organizações nas quais a TI é responsável por gerenciar os gastos com energia estão tomando medidas específicas para diminuir esse consumo, comparado a 24% das organizações em que a tecnologia da informação não tem a mesma responsabilidade.
 
Incentivar o sucesso da TI – as empresas em que o departamento de TI é incentivado a melhorar a sua eficiência energética são mais propensas a ter a meta de redução do consumo como uma prioridade – 58% contra apenas 30% daqueles que não são incentivados.
 
O relatório descobriu que os entrevistados também reduziram os custos de energia, privilegiando a eficiência energética na aquisição e gestão de equipamentos de TI, por meio das seguintes medidas:
 
Compra de equipamentos com processadores de múltiplos núcleos e baixa-energia/baixa-voltagem; utilização de ferramentas de gerenciamento de rede de energia; uso de softwares inseridos nas fontes de alimentação ininterrupta (UPS) para acompanhar a demanda de consumo; monitoramento remoto do data center para manter as luzes apagadas quando os empregados não estiverem no local; colocação de cabos de gestão para reduzir a demanda dos sistemas de refrigeração; implementação de servidor de aplicação e de armazenamento virtualizado para diminuir o número de equipamentos que consomem energia.
 
Uma pergunta feita no relatório foi: o que mantêm todos longe em aproveitar a eficiência energética? E a resposta curta é… não muito. Novas tecnologias melhoraram as soluções e adicionaram incentivos que permitiram os profissionais de TI aproveitarem o poder da eficiência energética.

Há anos, as equipes de tecnologia esperavam pelos padrões claros da indústria para a eficiência energética de equipamentos nos data centers. Agora, parece que tanto a indústria quanto os governos têm intensificado as discussões sobre a eficiência dos equipamentos de TI, o que permite aos CIOs tomarem as decisões de compra bem mais informados.

No relatório, 83% dos entrevistados disseram que os produtos de maior eficiência energética estão se tornando mais fáceis de serem identificados, e quase todos disseram que o selo Energy Star é muito importante para saber quais são os produtos energeticamente eficientes.
 
Outra ferramenta vista como muito verde é a virtualização. Embora algumas empresas ainda tenham reservas quanto à essa tecnologia, conforme aponta outro estudo da CDW, a maioria dessas preocupações evapora após a adoção das soluções. Além disso, o uso de servidores na nuvem pode reduzir os custos de energia com os equipamentos em cerca de 80%.
 
Recomendações
Apesar dos benefícios, muitos executivos ainda não sabem como tornar a teoria em prática. Confira algumas dicas de apoio na hora de adquirir os produtos e soluções verdes:
 
Crie o compromisso: aplique em todo o departamento de TI diretrizes de redução de energia. Atribua funções e responsabilidades, também forneça as ferramentas para monitorar e melhorar a eficiência de consumo
 
Procure com cuidado: os fabricantes de equipamentos de TI estão constantemente melhorando a eficiência energética de seus produtos, por isso, procure ativamente dispositivos de baixa-energia/baixa-voltagem que atendam aos requisitos de desempenho. De acordo com a pesquisa, os executivos podem se surpreender com o retorno rápido dos investimentos realizados para esses produtos.
 
Comece simples: ative as opções de gestão de energia incorporado nos PCs e sistemas operativos dos servidores, treine os funcionários com as melhores práticas de energia, como desligar os computadores, e use ferramentas de monitoração em sistemas “UPS inteligentes”.
 
Avalie o consumo de energia: identifique e quantifique todas as oportunidades para reduzir o consumo de energia e priorize-os pelo custo/benefício da ação.
 
Melhore a eficiência do data center: as organizações podem reduzir o uso de energia do data center de 10% a 45% ou mais, por meio de projetos inteligentes baseados em servidores e armazenamento otimizado, avaliação térmica e a utilização dos mais recentes racks que possuem sistemas de refrigeração.
 
Virtualize tanto quanto for possível: avalie a infraestrutura de desktop ao data center e olhe para uma série de tecnologias de virtualização disponíveis para reduzir a pegada do seu sistema, isso reduzirá os requisitos de energia e refrigeração nos locais da empresa.

 

Fonte: Eficiência energética: tesouro escondido nos departamentos de TI