Foi-se o tempo em um bom conhecimento em determinada área era suficiente para garantir empregos na indústria de Tecnologia da Informação (TI). Agora, diante de orçamentos enxutos e demissões em meio a uma economia fragilizada, as empresas passam a exigir certificações além da experiência comprovada. Daniel Guetzo, diretor de operações de campo da companhia de recrutamento em TI Technisource, observa que o movimento é visto com mais ênfase na região do Oriente Médio. Isso porque os profissionais de TI de outras regiões, ao perderem seus empregos, recorrem à região emergente, que se torna mais exigente, demandando profissionais não somente especializados em dado segmento, mas certificados em tecnologias específicas.

As certificações em gestão de projetos, framework e segurança de TI, bem como aquelas da Cisco e Microsoft, estão entre as de maior demanda, de acordo com um levantamento realizado junto a 15 gerentes de recrutamento da Technisource.

Divulgada no segundo trimestre deste ano, uma pesquisa da Robert Half Technology indicou os principais destinos de investimentos dos CIOs para os 12 meses seguintes. Segurança da informação, citada por 43% dos entrevistados, encabeçou a lista de prioridades, seguida de virtualização (28%), eficiência de data center (27%) e VoIP (26%). Dave Willmer, diretor executivo da divisão de tecnologia da Robert Half, afirma que à medida que investem nessas áreas, as empresas também procuram por profissionais certificados especificamente nas tecnologias em questão.

Com base nas informações de ambas as pesquisas é possível identificar aquelas certificações com maior demanda no mercado global de TI.

Certified Information Systems Security Professional (CISSP)
Existente há 15 anos, a especialização em segurança de sistemas de informação está entre as mais procuradas por empregadores. Além de serem aprovados no exame, os candidatos devem possuir pelo menos cinco anos de experiência em segurança da informação. Além disso, deve ter sua certificação endossada por outro profissional certificado e passar por uma auditoria. Os profissionais mantêm suas credenciais através do acúmulo de créditos educacionais.

Willmer, da Robert Half Technology, acredita que os conhecimentos de segurança podem ser decisivos para a contratação de um profissional, mesmo que essa especialização não faça parte da descrição e funções do cargo ao qual ele concorre. Para o executivo, os administradores de redes são candidatos ideais para essas certificações porque o seu trabalho está diretamente relacionado à segurança.

Certificações Cisco e Microsoft
Estas são as certificações favoritas dos gerentes de recrutamento. A certificação de engenheiro de sistemas da Microsoft (MCSE), Cisco Certified Network Associate (CCNA) e Cisco Certified Internetwork Expert (CCIE) são citada tanto pela Robert Half, quanto pela Technisource como aquelas com maior demanda. Em outra pesquisa recente, esta conduzida pela The IT Job Market junto a profissionais de TI e especialistas em recrutamento no Reino Unido traz as certificações da Microsoft (MCSE, Microsoft Certified Systems Administrator e Microsoft Certified Trainer) como as mais valiosas em TI, mencionadas por 43% dos entrevistados, seguidas pela CCNA e CCNP (administradores e profissionais de redes) da Cisco (29%).

A certificação MCSE é destinada a profissionais com entre um e dois anos em design, instalação, configuração e solução de problemas em sistemas de redes. Os MCSEs também podem realizar provas para certificar especializações em segurança e messaging para os sistemas operacionais Windows Server 2003 e Microsoft Windows 2000 Server. Embora a certificação MCSE já faça parte da lista das mais procuradas, espera-se que o profissional certificado em TI pela Microsoft (MCITP) seja ainda mais valorizado nos próximos meses, à medida que o Windows Server 2008 continue com a boa aceitação do mercado.

Entre as certificações mais procuradas da Cisco está a CCNA. De nível básico ela valida individualmente as capacidades de instalar, configurar, operar e solucionar problemas de roteadores e switches em redes de médio porte. Ela está disponível parae specializações em roteamento e switching, segurança, voz e wireless.

A CCIE é o mais elevado nível de certificação da Cisco e é conhecida por muitos como a mais difícil certificação da indústria de TI. Além de um exame escrito, os candidatos são submetidos a um teste prático de oito horas em laboratório. Segundo uma pesquisa da PayScale, os CCIEs têm remuneração anual média de US$ 100.700 para um engenheiro sênior de rede, e de US$ 114,650, no caso do arquiteto de rede.

Project Management Professional (PMP)
Além de outras habilidades, como experiência e certificações em seu mercado específico de atuação, muitos empregadores agora procuram por profissionais que detenham a certificação em gestão de projetos (PMP), do Project Management Institute (PMI). Trata-se de uma certificação destinada a profissionais que lideram equipes de diversos setores da companhia. Os candidatos precisam ter entre três e cinco anos de experiência – o prazo varia conforme o histórico educacional do profissional – em gestão de projetos e pelo menos entre 4.500 e 7.500 horas dedicadas à liderança e direção de tarefas ligadas a projetos. Além disso, o profissional interessado em obter o PMP deve dedicar pelo menos 35 horas a educação, oferecidas pelos provedores de treinamento credenciados junto ao PMI ou oferecidos a distância pelo empregador ou empresas especializadas em e-learning.

A prova do PMI é constituída de 200 questões de múltipla escolha. Para manter o status de PMP, os profissionais precisam liderar pelo menos 60 projetos a cada três anos.

ITIL
Desenvolvida pela Câmara de Comércio Governamental do Reino Unido (OGC), o ITIL já possui grande demanda na Europa e Canadá. O framework de melhores práticas estabelece uma série de regras para a entrega de serviços de TI de forma mais eficiente. Para isso, aprimora processos de gestão nos departamentos de TI responsáveis pelo suporte a redes, aplicativos, bancos de dados e sistemas em uma organização.

Segundo especialistas, o ITIL é particularmente útil em temos de orçamentos enxutos porque permite que as empresas controlem recursos e custos necessários para entregar TI, dando grande visibilidade e transparência aos serviços.

Atualmente em sua terceira versão, o ITIL é dividido em quatro níveis de certificação: Foundation (Básico), Intermediate (Intermediário), Expert e Master. O primeiro foca conhecimento e compreensão dos principais conceitos e terminologias do ITIL. O intermediário aborda duas vertentes – o ciclo de vida e a capacidade – e ambas são relacionadas à capacidade do profissional de analisar e aplicar os conceitos de ITIL.  Os candidatos chegam ao nível de Expert ao completar uma série de processos intermediários. Finalmente, o Master, nível ainda em desenvolvimento, avalia a capacidade de aplicar e analisar os conceitos de ITIL em novas áreas.

Virtualization
A virtualização, que ganhava terreno mesmo antes da instauração da crise, tornou-se ainda mais atraente com a desaceleração econômica e o movimento no sentido da computação verde. Muitas empresas vêm consolidando seus servidores e adotando a virtualização para ganhar eficiência. Aproximadamente 40% dos CIOs em empresas de médio e grande portes entrevistados pela Robert Half disseram que investiriam em virtualização nos 12 meses seguintes.

Ao mesmo tempo que permite que as companhias cortem custos, a virtualização gera aumento na demanda por profissionais capacitados na tecnologia. De acordo com a pesquisa da PayScale, o salário médio do profissional especializado em virtualização era de US$ 100.190 anuais.

Os três fornecedores líderes no mercado de virtualização são a VMware, Citrix e Microsoft, e todas elas oferecem certificações em seus produtos. A VCP (VMware Certified Professional) é a mais antiga e atualmente a mais procurada das certificações de virtualização.

fonte:Convergência Digital