Como lidar com a ansiedade gerada pela crise

Autor do livro Fifth Wave Leadership: The Internal Frontier (sem tradução para o português), o psicoterapeuta e consultor em gestão Morrie Shechtman defende uma visão de que os profissionais em posição de liderança precisam ajudar suas equipes a lidar com a ansiedade provocada pelo cenário de crise financeira internacional.

De acordo com o especialista, existe um sentimento coletivo de medo e de desconfiança entre as pessoas. Com isso, os profissionais tendem a ficar preocupados com a possibilidade de demissão ou de perder espaço no trabalho. “Se o líder não conversar sobre isso, a ansiedade tende a tomar conta das equipes, as quais perdem a habilidade de focar no trabalho”, define Schechtman.

Para o consultor, a instabilidade precisa ser encarada como oportunidade para que os gestores exercitem sua capacidade de liderança, ao estimular a equipe a buscar resultados melhores. “A maioria das pessoas teme receber ou dar feedback (retorno sobre a qualidade do trabalho). Mas estimular esse tipo de atividade traz as pessoas para a realidade”, analisa.

“Em alguns momentos é necessário adaptar o discurso ao perfil dos funcionários”, ressalta o especialista. Para tanto, ele afirma que alguns profissionais tendem a ficar mais concentrados no trabalho do que em boatos e notícias sobre a crise. Enquanto os demais têm a produtividade influenciada por esse clima de tensão e, portanto, merecem um pouco mais de atenção dos gestores.

Outro fator que não pode ser ignorado pelos líderes é o fato de que os profissionais hoje permanecem mais tempo na escola e tendem a postergar suas experiências práticas. “Olhe para a geração de pessoas com 40, 50 ou 60 anos. O que eles já tinham feito aos 20 anos? Muitos estavam casados, construindo uma família e comprando uma casa”, exemplifica Schechtam. “Mas essa mesma realidade não faz sentido para quem está com 20 a 30 anos”, complementa, ao lembrar que isso exige um esforço redobrado dos líderes para estimular essa maturidade profissional.

fonte CIO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *